Newton Lima, designer de interiores, diz que entender o modo de vida das pessoas é como dialogar dentro da formação dos conceitos em torno do estilo e conforto de cada uma delas.

Newton Lima, paulista de 41 anos, nunca deixou sua paixão pelo design mesmo tendo formação em administração de empresas com ênfase em comercio exterior. Apesar de também ter MBA em gestão de negócios, cursou designer de interiores na escola de Belas Artes, em São, Paulo, para, logo em seguida, estudar História da Arte, em Londres, no Chelsea College of Art.

“Sempre tive curiosidade e envolvimento em assuntos relacionados a design e decoração, desde leituras, participação em eventos, visita a lojas e feiras periódicas nessa área. Meus apartamentos eram uma espécie de vitrine onde os amigos pediam dicas e me convidavam a decorar suas casas e espaços”, diz Newton que, em muitas de suas viagens ao exterior, visitou inúmeras feiras observando tendências.

Hoje, o designer tem se envolvido em projetos de maior complexidade, tanto de interiores, como de paisagismo. “Meu trabalho busca contar uma história que se torna algo mais na bagagem e na singularidade dos detalhes que são importantes para cada um”, afirma Newton que, com o tempo, foi se aperfeiçoando nas técnicas e traços de desenhos, em projetos de reforma, adequação de layout e humanização de ambientes. “É preciso entender o modo de vida das pessoas para podermos dialogar dentro da formação de conceitos em torno do estilo, conforto e identidade nas soluções a serem propostas”, finaliza.